Determinando o Nosso Roteiro – e a melhor maneira que achamos

Oneworld RTW ticket

Esboço do roteiro usando o RTW planner da Oneworld

Talvez essa seja uma das tarefas mais complicadas, é como montar um quebra cabeça, ainda bem que eu gosto.

Depois de várias iterações e mudanças e pensamentos acho que finalmente chegamos ao roteiro principal.  Para quem não sabe, as alianças aereas oferecem o que eles chamam de round the world tickets, que são um conjunto de bilhetes que devem seguir algumas regras mas acaba saindo BEM mais barato do que comprar cada trecho individualmente.  Algumas regras básicas, cada aliança vai ter sua variação:

  • Deve-se seguir uma orientação e dar a volta completa no globo voltando ao país de origem;
  • 1 ano é o limite máximo para a viagem ser concluída;
  • Você é obrigado a atravessar o Oceano Pacífico e o Atlântico mas só pode fazê-lo uma vez, nunca retrocedendo;
  • Basicamente existem categorias de milhas voadas (26 mil, 29 mil, 33 mil e 38 mil) com no mínimo 3 trechos e no máximo 16 (cada aliança tem sua variação).

Os detalhes de cada aliança você pode encontrar nos sites abaixo:

Existem também passagens só em países do Pacífico ou da África entre outras opções, nós queríamos mesmo é dar a volta ao mundo.

O que nos levou a esse roteiro:

  • Queríamos passar nos EUA antes de tudo pois vamos comprar tudo que vamos levar lá, já que é bem mais barato!
  • Vamos pegar inverno só nos EUA e Europa, a partir da turquia achamos que vai ser quente o resto da viagem;
  • A maior parte do tempo queremos ficar em países baratos para poder baratear o custo da viagem;
  • Algumas cidades são hubs de companhias aéreas budget onde podemos voar para países vizinhos a um custo bem menor!

Com isso definido temos que agora fazer a parte mais desagradável, o desembolso da grana da passagem, como podem ver na imagem acima chegamos à conclusão que o melhor custo benefício no nosso caso é a Oneworld com a opção de 16 trechos.  Importante resaltar que mesmo um trecho “overland”, ou seja um trecho em que não usaremos avião para chegar de um ponto ao outro pois vamos por outros meios, é considerado um trecho voado.

Ficamos assim:

São Paulo (Brasil) – Miami (EUA) – Nova York (EUA) – Londres (Inglaterra) – Lisboa (Portugal) terrestre até Istambul (Turquia) – Delhi (India) – Kuala Lumpur (Malásia) terrestre até Singapura (Singapura) – Perth (austrália) – Sydney (Austrália) – Auckland (Nova Zelândia) terrestre* até Papeete (Polinésia Francesa) – Ilha da Páscoa (Chile) – Santiago (Chile) – São Paulo (Brasil).

* não consegui com que o vôo de Auckland à Papeete tivesse incluindo no simulador do site, vou ligar na Oneworld para entender melhor.

Lembrando que este é o roteiro básico e vamos visitar outros lugares por outros meios (como budget airlines e trens) especialmente na Europa e no sudeste da Ásia, mas isso fica para outro post!

Atualização:

Depois de ligar em várias companhias membros da Oneworld (LAN, British Airways, Qatar e American Airlines) acabamos comprando as passagenes com a American Airlines.  O serviço deles é o melhor disparado! Me atenderam direto e na hora (a Qatar não atendeu o telefone, a British Airways não quis nem conversar para montar o roteiro e pediu pra fazer direto no site da Oneworld e a LAN, depois de várias idas e vindas e tempo perdido acabei desistindo!).

A passagem sai por volta de US$ 5.000,00 por pessoa com taxas e se o valor é pago em reais com cartão brasileiro você pode dividir em 5x sem juros.  Pela quantidade de trechos voados acho que realmente é difícil superar esse preço!

Trackbacks

  1. […]  Sendo assim montamos um roteiro com trechos de avião que faz parte do nosso roteiro principal (veja mais aqui), trechos com companhias aéreas budget (Ryanair e Easyjet) e trechos de trem, a seguir o roteiro […]

Deixe um comentário